Como é de conhecimento, Belo Horizonte, região metropolitana e outras cidades do interior de Minas Gerais se encontram em situação de calamidade após serem atingidas por um alto volume de chuva, entre os dias 24 e 28 e janeiro. As enchentes e desabamentos decorrentes dos temporais provocaram perdas materiais e de inestimáveis vidas humanas. A Defesa Civil Estadual divulgou, no dia 27 de janeiro, levantamento que registrava cerca de 50 mortos, 14.609 desalojados e 3.386 desabrigados em todo o estado.

Assim que passado o momento de caos, a sociedade precisa aprofundar suas reflexões acerca da situação, sobretudo no que diz respeito às suas causas e consequências, que não podem ser atribuídas, de forma superficial, somente a fatores naturais. Há também uma profunda necessidade de investimentos estruturais e em políticas públicas que visem à redução de desigualdades sociais. O planejamento urbano, de forma multissetorial, é uma importante ferramenta a ser utilizada pelo poder público para promover a equidade, através da oferta de moradia, energia, abastecimento de água, transporte público, saneamento básico e serviços de drenagem a toda a população. Esse papel é do Estado e não pode ser negligenciado.

Todavia, neste momento, o que nos resta é a tomada de providências emergenciais para o suprimento das necessidades básicas dos atingidos. Nossa categoria, em consonância com o juramento profissional do economista, que preza pela “promoção do bem-estar social e econômico”, e com base no compromisso individual para com a sociedade, não pode ficar alienada perante esses lamentáveis acontecimentos.

Visando engajar-se, dentro das possibilidades, no movimento de solidariedade a todos que foram afetados, o Conselho Regional de Economia de Minas Gerais (Corecon-MG) receberá em sua sede, situada à Rua Paraíba, nº 777, Savassi – Belo Horizonte, das 13h às 17h30 em dias úteis, doações de água mineral, roupas, roupas de cama (lençóis, travesseiros e cobertores), materiais de limpeza e de higiene pessoal. Também estamos montando uma pequena rede que recolherá donativos em domicílio, o que pode ser solicitado pelo telefone (31) 3261-5806 – Opção 6 (secretaria). O material será entregue à Cruz Vermelha Brasileira e a outras instituições credenciadas junto à Assistência Social.

No caso de contribuições em dinheiro, sugerimos que sejam feitas por meio de conta oficial criada pelo Banco do Brasil:

Agência 1607-1
Conta 70.000-2 (FBB Enchentes MG)
CNPJ 01.641.000/0001-33

Nota do Corecon-MG sobre as chuvas em Minas Gerais
Classificado como:                                        

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *